Estrelas do mar


As estrelas-do-mar são muito conhecidas por sua extrema beleza e por isso são imediatamente citadas quando o assunto são organismos marinhos. Estes animais que podem ter cinco ou mais braços, ocorrem no fundo dos mares e se alimentam geralmente de moluscos (bivalves e gastrópodes). Na Enseada de Caraguatatuba ocorrem duas espécies de estrelas-do-mar: Astropecten marginatus (com cinco braços) e Luidia senegalensis (com nove braços). O interesse pelas estrelas desta região surgiu a partir do estudo iniciado com o berbigão Tivela mactroides em 2002 (link: projeto berbigão). Este bivalve, também conhecido como vôngole ou marisco-da-areia, além de explorado comercialmente para consumo da população e de turistas, é também um dos principais itens alimentares para os predadores que habitam a região. Desta forma, o estudo sobre as estrelas-do-mar torna-se fundamental para a compreensão da dinâmica de consumo por T. mactroides, gerando assim informações que embasarão planos de manejo para o uso sustentável desse recurso através da definição de áreas e épocas para o seu defeso.
Visando a preservação das estrelas, suas presas e outras espécies que co-ocorrem é essencial o conhecimento sobre os seus diversos aspectos ecológicos. Para isso, pesquisadores do Instituto Costa Brasilis realizaram coletas mensais na Enseada de Caraguatatuba. A partir destas, novas informações vem contribuindo para o conhecimento sobre a distribuição espacial, estrutura populacional, ciclo reprodutivo, predação e a composição da dieta destas duas espécies de estrelas.

Um outro aspecto importante é que a abundância de equinodermos tem sugerido que eles são capazes de resistir a predadores por meio de mecanismos de defesa. A literatura mostra que algumas espécies de estrelas possuem toxinas, entre elas, saponinas e TTX. Por isso, outro ramo de estudo dos pesquisadores do Instituto Costa Brasilis compreende ensaios farmacológicos das estrelas-do-mar utilizando extratos dos tecidos isolados das duas espécies. Segundo a bióloga Jeanete Lopes Naves, "a relação entre a ocorrência de toxina e o tipo de presa consumida também vem sendo investigada, já que algumas estrelas não produzem toxinas e sim as adquirem através dos organismos dos quais se alimentam".

 

I. Imagens

Exemplar de Astropecten marginatus,
posteriormente dissecado para análises em laboratório

Exemplar de Luidia senegalensis.

Enseada de Caraguatatuba Retirada das estrelas da rede de arrasto

II. Publicações

1. Resumos

Naves, J.L., Dias, G.M., Delboni, C.G.M., Majer, A.P., Freitas, J.C. (2004). Preliminary studies with extracts of Astropecten marginatus collected from Caraguatatuba Bay, São Paulo, Brazil. VIIIth Congress of the Brazilian Society of Toxinology (SBTx) and VIIIth  Symposium of the Pan American Section of the International Society on Toxinology (IST), 19 a 23 de setembro de 2004, Angra dos Reis, RJ, Brazil.

Dias, G.M., Naves, J.L., Majer, A.P, Delboni, C.G.M. (2004). Estrutura populacional das estrelas do mar Astropecten marginatus e Luidia senegalensis na Baía de Caraguatatuba-SP. 7a Semana Temática da Biologia, 20 a 24 de setembro de 2004, Universidade de São Paulo -USP, São Paulo, SP, Brasil.

Delboni, C.G.M.; Alvez, C.C.; Majer, A.P.; Dias, G.M.; Naves, J.L.; DENADAI, M.R.; TURRA, A. (2006). Estudos preliminares do ciclo reprodutivo de Astropecten marginatus na Enseada de Caraguatatuba, sudeste do Brasil. XXVI Congresso Brasileiro de Zoologia, 12 a 17 de fevereiro, Londrina - PR.

Delboni, C.G.M.; Naves, J.L.; Majer, A.P.; Dias, G.M.; Freitas, J.C. (2006). Atividade hemolítica do extrato de Astropecten marginatus da Enseada de Caraguatatuba, São Paulo, Brasil. XXVI Congresso Brasileiro de Zoologia, 12 a 17 de fevereiro, Londrina - PR.

2. Monografias

Alvez, C.M. 2004. Estudos preliminares do ciclo reprodutivo de Astropecten marginatus (Gray, 1840) na Enseada de Caraguatatuba, sudeste do Brasil. Curso de Ciências Biológicas - UNIFEOB. 28 p.

ALCÂNTARA, D.S. 2004. Estudos preliminares do ciclo reprodutivo de Luidia senegalensis (Lamarck, 1816) na Enseada de Caraguatatuba, sudeste do Brasil. Curso de Ciências Biológicas - UNIFEOB. 29 p.

III. Equipe

Pesquisadores

  • M.Sc. Cynthia Grazielle Delboni
  • M.Sc. Gustavo Muniz Dias
  • M.Sc. Alessandra Pereira Majer
  • M.Sc. Jeanete Lopes Naves
  • Dra. Márcia Regina Denadai
  • Dr. Alexander Turra

Auxiliares de campo voluntários

  • Eduardo Bessa
  • Flávia Borges Santos
  • Maria Angélica Oliveira Gonçalves
  • Milena Cristina Corbo (UNICAMP)
  • Arlaine Francisco Gianelli (UNICAMP)

Estagiários

  • Carolina Machado Alves (UNIFEOB)
  • Daniela Scaloppe de Alcântara (UNIFEOB)

IV. Financiadores

 
Instituto Costa Brasilis - Desenvolvimento Sócio-Ambiental
Rua Emiliano Cardoso de Mello, 46, Vila Butantã, CEP 05360-000
São Paulo - SP - Brasil