Com quantas memórias se faz uma canoa

Esta obra faz um resgate histórico do uso e do feitio das canoas a partir de depoimentos de canoeiros e de construtores de canoas de Ubatuba. O livro aborda a origem indígena, o aperfeiçoamento no feitio, as grandes jornadas realizadas pelas extintas canoas de voga, as dificuldades encontradas no período em que o transporte rodoviário não existia no município... Por fim, a obra trata da pesca artesanal de subsistência com canoas e da preocupação com a preservação dessas embarcações, que são um símbolo da cultura caiçara. Não faltam “causos”: histórias de quem viveu momentos de desespero no mar ou de quem obteve fartas pescarias, cômicas anedotas e lições de vida que, contadas por quem as viveu, ganham um toque especial.
Maiores informações: instituto@costabrasilis.org.br