Projeto Berbigão


O Projeto Berbigão teve início em 2002. De lá para cá, procurou-se compreender vários aspectos da biologia do molusco bivalve Tivela mactroides, bem como aqueles relacionados à dinâmica de sua exploração pelo homem. O berbigão, também conhecido como vôngole ou marisco-da-areia, é muito abundante nas praias que compõem a Enseada de Caraguatatuba. Esse animal é tradicionalmente explorado como alimento pela população local, os caiçaras, e também pelos turistas que freqüentam o local.

Por esse motivo, pesquisadores associados ao Instituto Costa Brasilis realizaram coletas mensais nas praias para avaliar variações na densidade populacional e outros aspectos associados à dinâmica da população: as taxas de crescimento, mortalidade, recrutamento dos indivíduos e o ciclo reprodutivo da espécie na região.

Também foram avaliados o consumo do berbigão pela população e o perfil sócio-econômico de quem o consome. Estimou-se que 30t do produto são retiradas anualmente na região e que esta atividade é desempenhada por cerca de 500 famílias. No entanto, a exploração é muito dinâmica, pois metade das famílias que exploram esse recurso é de turistas, os quais não possuem o hábito de retirar o berbigão regularmente. Segundo a bióloga Márcia R. Denadai, que realizou entrevistas com os coletores do berbigão, cerca de 15% dos entrevistados declarou estar coletando pela primeira vez. "Isso indica um alto grau de rotatividade nesta atividade e, como a maioria dos catadores é constituída por turistas, existe um forte caráter recreativo associado à prática", afirma Márcia.

Os pesquisadores também evidenciaram, através de análises microbiológicas da carne do berbigão, a contaminação por diversos organismos patogênicos. Assim, o consumo do berbigão só é indicado após preparo com fervura para eliminação das bactérias, que podem causar, além de outras doenças, fortes diarréias. "Um trabalho de orientação da população está sendo planejado", afirmou o biólogo Alexander Turra.

Complementarmente, serão ainda avaliadas as principais causas de mortalidade natural dos indivíduos da população. A dieta de alguns peixes bentônicos, bem como de duas espécies de estrela-do-mar (Astropecten marginatus e Luidia senegalensis) e do siri Callinectes danae será analisada para um diagnóstico do consumo de T. mactroides pelos seus principais predadores. A ocorrência de manchas de indivíduos mortos na praia, evidenciando eventos de mortalidade em massa, também será monitorada juntamente com os fatores físicos e meteorológicos que podem estar relacionados a esses eventos.

Todas essas informações subsidiarão um plano de manejo voltado para o uso sustentável do berbigão na Enseada de Caraguatatuba, visando a continuidade dessa atividade realizada há décadas, muitas vezes de forma recreativa e, por outro lado, garantindo a subsistência ou mesmo o sustento de algumas famílias. "Esse plano de manejo será encaminhado para a Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Caraguatatuba e para o Grupo Setorial de Gerenciamento Costeiro do Litoral Norte do Estado de São Paulo", afirma Turra.

Parte dos resultados dessa pesquisa já se encontra publicada e outra parte está em fase de elaboração para ser publicada em breve (veja adiante).

I. Imagens

 
Berbigão Tivela mactroides Coleta do berbigão na faixa exposta...
....e na faixa submersa da praia Estrela do mar com berbigões
jovens no estômago
Evidência de poluição na enseada de Caraguatatuba. Peixes obtidos para estudo de dieta.
 

II. Publicações

1. Resumos

Denadai, M.R., Amaral, A.C.Z., Turra, A. (2001). Veneridae (Mollusca, Bivalvia) da costa sul e sudeste brasileira com ênfase na dinâmica populacional de Tivela mactroides (Born, 1778). II Simpósio do Programa Biota/FAPESP,  São Pedro, SP,  2001. Resumos: p. 94.

Denadai, M.R., Amaral, A.C.Z., Turra, A. (2002). Distribuição espacial de Tivela mactroides (Born, 1778) na Enseada de Caraguatatuba. III Simpósio do programa Biota/FAPESP, São Pedro, SP. Resumos: p. 282-284.

Denadai, M.R., Amaral, A.C.Z., TURRA, A. (2004). Relações morfométricas em Tivela mactroides (Born, 1778) (Mollusca, Bivalvia, Veneridae) na Enseada de Caraguatatuba, SP. IV Simpósio de Ecossistemas Brasileiros - Patrimônio ameaçado, 2004, São José dos Campos, SP. Resumos: p. 232.

Ribeiro, F.A., Jacobicci, D.F C., Denadai, M.R., Turra, A. (2005). Análise do efeito de diferentes métodos de conservação na determinação da contaminação da carne do molusco bivalve Tivela mactroides por coliformes totais e fecais. XXIII Congresso Brasileiro de Microbiologia, 2005, Santos, SP. Programa e resumos: p. 179.

2. Artigos de periódicos científicos

Denadai, M.R., Amaral, A.C.Z., Turra, A. (2005). Along and across-shore components of the spatial distribution of the clam Tivela mactroides (Born, 1778) (Bivalvia, Veneridae). Journal of Natural History 39: 3275-3295.

3. Artigos em preparação (Títulos provisórios)

Denadai, M.R., Turra, A. The harvesting on the clam Tivela mactroides (Born, 1778) in the Caraguatatuba Bay, Southeastern Brazil: consumption estimate.

Denadai, M.R., Turra, A. Exploração do berbigão em Caraguatatuba: perfil sócio econômico dos coletores e dinâmica da atividade.

Denadai, M.R., Amaral, A.C.Z., Turra, A.Population biology and secondary production of the harvested clam Tivela mactroides (Born, 1778) (Bivalvia, Veneridae).

Denadai, M.R., Amaral, A.C.Z., Turra, A. Morphometric relationships in Tivela mactroides (Born, 1778) (Mollusca, Bivalvia, Veneridae) of Caraguatatuba Bay, southeastern Brazil: a comparison among curve adjustments for regression analyses.

Denadai, M.R., Amaral, A.C.Z., Marques, C.G., Le Suer, L.P., Turra, A. Reproductive cycle of Tivela mactroides in Caraguatatuba Bay.

Denadai, M.R., Jacobucci, D.F.C., Turra, A. Microorganisms and nutritional value of the meal of the bivalve Tivela mactroides.

4. Relatório Técnico

Turra, A. & Denadai, M. R. 2005. O marisco-da-areia (berbigão) na Enseada de Caraguatatuba: Exploração humana, riscos à saúde pública e propostas de ações para solucionar os problemas diagnos (versão em PDF).

5. Monografias

Marques, C. G. 2004. Avaliação do desenvolvimento gonadal e período reprodutivo do berbigão Tivela mactroides (Mollusca, Bivalvia) na Enseada de Caraguatatuba. Curso de Ciências Biológicas - UNIFEOB. 67 p (versão em PDF).

Ribeiro, F. A. 2004. Análise de coliformes totais e fecais para determinação da qualidade microbiológica do molusco bivalve Tivela mactroides submetido a diversos métodos de conservação. Curso de Bacharelado em Ciências Biológicas - UNIFEOB. 45 p (versão em PDF).

Elias, A. M. L. 2004. Atividade hemolítica do estrato de Tivela mactroides coletado na Enseada de Caraguatatuba, litoral norte do estado de São Paulo, Brasil. Curso de Bacharelado em Ciências Biológicas - UNIFEOB. 35 p.

Peres, R. B. 2004. Ecologia alimentar da Maria-Luiza, Paralonchurus brasiliensis (Steindachner 1875) (Perciformes: Sciaenidae) na praia da Enseada de Caraguatatuba, São Paulo. Curso de Bacharelado em Ciências Biológicas -UNIFEOB. 35 p (versão em PDF).

Santos, A. F. 2004. Ecologia alimentar do bagre amarelo Arius spixii (Agassiz, 1928) (Siluriformes: Ariidae) na Praia da Enseada de Caraguatatuba, São Paulo. Curso de Bacharelado em Ciências Biológicas - UNIFEOB. 31 p (versão em PDF).

Zoldan, L. V. 2005. Análise do conteúdo estomacal de duas espécies de estrela-do-mar:  Astropecten marginatus (Gray, 1840) e Luidia senegalensis (Lamarck, 1816)na Enseada de Caraguatatuba, SP, sudeste do Brasil (versão em PDF).

6. Livro

Denadai, M.R., Turra, A. O berbigão na cultura popular do litoral norte de São Paulo.

7. Notícias

Jornal Vale Paraibano (impresso) – 07/04/2005

Litoral Virtual - 07/04/2005

Cosmo - 07/04/2005

TV Vanguarda 1ª Edição - reportagem em 13/04/2005

III. Equipe

1. Pesquisadores

  • Dra. Márcia Regina Denadai (Instituto Costa Brasilis)
  • Dr. Alexander Turra (Instituto Oceanográfico-USP)
  • Dra A. Cecília Z. Amaral (UNICAMP)
  • Dra. Luciana Le Sueur Maluf (UNIFESP)
  • Dra. Daniela F. C. Jacobucci (Instituto Costa Brasilis)

2. Auxiliares de campo voluntários

  • Natalina Pejon Denadai
  • Maria Angélica Oliveira Gonçalves (Instituto Costa Brasilis)
  • Milena Cristina Corbo (UNICAMP)
  • Arlaine Francisco Gianelli (UNICAMP)

3. Estagiários

  • Adriana Maciel Leituga Elias (UNIFEOB)
  • Ana Lúcia Lima (UNIFEOB)
  • Andreza Cristina Dias Arcuri (UNIFEOB)
  • Camila Carvalho Paschoal (UNIFEOB)
  • Camila Marque Luvizaro (UNIFEOB)
  • Carla Guinart Marques (UNIFEOB)
  • Cristiane Cipola Fasanella  (UNIFEOB)
  • Cristiane Moraes da Silva (UNIFEOB)
  • Fernanda Aparecida Ribeiro (UNIFEOB)
  • Fernanda Motta da Costa Santos (UNIFEOB)
  • Fernanda Navarro Junqueira Anadão (UNIFEOB)
  • Fernanda Scaloppe (UNIFEOB)
  • Francini Migotto Cabral (UNIFEOB)
  • Leilane Barbosa Ronqui (UNIFEOB)
  • Ligia Coletti Bernadochi (UNIFEOB)
  • Liliana Vala Zoldan (UNIFEOB)
  • Luana Lorca Sartoris Gemenes (UNIFEOB)
  • Lucila Pellegrinelli Bernardes (UNIFEOB)
  • Mariana Fonseca (UNIFEOB)
  • Mônica Malagutti Feijó (UNIFEOB)
  • Renata Nastrini Prado (UNIFEOB)
  • Vanessa Hermann de Faria (UNIFEOB)

IV. Financiadores

V. Empresas parceiras

 
Instituto Costa Brasilis - Desenvolvimento Sócio-Ambiental
Rua Emiliano Cardoso de Mello, 46, Vila Butantã, CEP 05360-000
São Paulo - SP - Brasil